(21) 2682-1379 Fale Conosco
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages

Entidades preparam plenária de refundação da CNESF em novembro

Sete sindicatos de Servidores Públicos Federais (SPF), entre eles o ANDES-SN, se reuniram no dia 29 de agosto, em Brasília (DF), para debater a reorganização da Coordenação Nacional das Entidades de Servidores Federais (CNESF). Uma das decisões da reunião foi realizar, no mês de novembro, uma plenária de refundação da CNESF. O fortalecimento da CNESF é deliberação congressual do ANDES-SN.

A reunião de quarta-feira discutiu questões administrativas e políticas. A primeira deliberação é realizar, no dia 5 de setembro, a denúncia do orçamento federal. No dia 13 de setembro as entidades se incorporarão à marcha está sendo chamada pelo Fórum das Entidades Nacionais dos SPF (Fonasefe). Também foi indicado para o dia 24 de outubro um Dia de Paralisações, dado o cenário de lutas e ataques aos serviços públicos, com o mote de luta contra a Emenda Constitucional (EC) 95 – do Teto de Gastos.

Paulo Reis, da direção nacional do Sinasefe, participou da reunião e explica as diferenças entre a CNESF e o Fonasefe. “A reunião da CNESF foi iniciativa da Sinasefe e da CSP-Conlutas e se deveu à necessidade de termos um patamar de mobilização superior – como a luta de classes exige hoje. Temos tido muitas dificuldades de mobilização e de encaminhar lutas no Fonasefe. O Fonasefe funciona por consenso e, por exemplo, até hoje não tem a deliberação do Fora Temer, que é uma pauta política que o conjunto da classe trabalhadora abraçou e o Fonasefe, que tem uma trajetória de luta, não abraçou. Esse é um exemplo simples das várias questões que refletem o imobilismo do Fonasefe”, afirma.

“O mais importante para nós é realizar uma plenária de refundação da CNESF, trazendo seu resgate histórico, para consubstanciar com a participação da base. A diferença entre Fonasefe e CNESF não é só a forma de deliberar, mas o envolvimento da base. Queremos que a base participe desse processo. E a ideia da paralisação do dia 24/10, que vamos organizar pela CNESF caso o Fonasefe não organize, é que ela seja precedida por assembleias em todas as bases do Brasil. E em novembro, sem data definida ainda, que aconteça a plenária de refundação da CNESF, colocando-a em outro patamar de luta, fortalecendo a mobilização do serviço público. Achamos que a CNESF pode ser a ponta de lança desse processo de lutas”, completa Paulo Reis.

Fonte: ANDES-SN